g2h

level

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Paciente com cancer

A FAMÍLIA E O PACIENTE COM CÂNCER


Toda doença grave pode ocasionar uma crise na família. Isso ocorre muito especialmente quando o diagnóstico do paciente é "câncer". A crise é ampla e pode assumir aspectos variados que, até certo ponto, vão depender da estrutura familiar vigente até o momento em que a doença aparece. Todos os membros da família são, de uma ou de outra forma, "tocados" pelo diagnóstico, especialmente quando reside na família a antiga crença de que a palavra "cancer" tem um significado sombrio.

A extensão da doença, muito frequentemente, vai além da família; ela pode envolver, nos seus aspectos multiformes, até o círculo de amigos mais próximos. Em relação a isso, costumamos dizer que o diagnóstico de câncer afeta diretamente seis níveis de relações, conforme mostra a figura 1.
Figura 1. Mostra os seis níveis familiares e de amigos afetados por um diagnóstico de câncer. O nível seis inclui os amigos e companheiros de trabalho, colegas de estudos, etc...
A adaptação da esposa é a mais importante e difícil, de uma maneira geral, pois ela deve assumir funções muitas vezes desconhecidas, como tratar dos negócios ou outras questões financeiras. Nessa hora, ela se vê sozinha, tendo de comandar e negociar a vida de seus familiares, além de prestar o socorro, solidariedade e acompanhar o paciente aos diversos locais para consultas, exames e tratamentos. A esposa deve se socorrer de auxílio competente, enquanto o marido estiver impossibilitado de ajudá-la, se isso vier a ocorrer.

Essa verdadeira crise famíliar pode despertar emoções e angústias em todos os membros. O diagnóstico de "câncer" demora a ser completamente aceito e a sua completa extensão custa a ser entendida pela família. Em principio, todos crêem que a doença é passageira, ou seja, que será de curta duração, mas quando percebem que a enfermidade vai ser prolongada, toda a família tem que se estruturar nas melhores condições possíveis para dar o melhor para o doente.

O câncer é uma doença familiar, pelo impacto que provoca. A família que mantém uma comunicação franca e aberta, oferece uma qualidade de vida melhor ao paciente, ajudando-o a se adequar às situações mais difíceis. Nas crises, os momentos são mais difíceis para se adotar novos padrões familiares.

O suporte emocional dos pacientes com câncer e seus familiares, muitas vezes é alcançado através de terapia específica ou apoio emocional. Nessas crises, as pessoas que professam uma religião conseguem muita força.

Muitos amigos gostariam de ajudar, mas não sabem como. Por essa razão, costumam esperam que o paciente diga como poderiam ajudá-los. E o paciente tem a impressão de que os amigos se afastaram dele quando, na verdade, a grande maioria está solidária e torce pelo sucesso do tratamento. E os que conseguem uma aproximação maior, participam dos esforços familiares e costumam ser uma ajuda de grande valia porque, de um modo geral, podem ser mais racionais do que emocionais, nos momentos em que isso é mais necessário. Além disso, muitos pacientes preferem "compartilhar" os seus anseios com os amigos mais próximos, com a falsa impressão de que estão "poupando" a esposa e os filhos dos seus anseios e receios.

Os filhos têm o direito de saber de tudo o que está acontecendo, mas o fluxo dos acontecimentos deve ser explicado de acordo com a idade de cada um, e de maneira que eles entendam. Apenas dessa forma, os filhos poderão entender as mudanças que se fizerem necessárias. Até os sete anos de idade as crianças podem entender a doença, mas a primeira pergunta será se ele é o culpado por aquela doença. A criança pode imaginar que alguma coisa que ela tenha feito ao pai ou à mãe foi a causa da doença. Dos sete aos doze anos, a explicação poderá ser mais detalhada, embora sempre demonstrando a convicção de que a doença vai acabar bem. Nestas idades pode ser necessário responder a algumas perguntas, porque eles podem ter colegas no colégio que perderam o pai ou a mãe com esta doença. Nessa hora, a família deve dizer que existem vários tipos de câncer, e o do seu pai (ou mãe) é de um tipo leve e que pode ser curado com o tratamento adequado. A partir dos doze anos, tudo sobre o câncer já poderá ser explicado. Respeite os seus sentimentos e o dos seus filhos. Se, durante a conversa você chorar, não esconda, mesmo que seu filho venha a chorar também. É importante que ele perceba e até participe dos seus sentimentos. Conviver com o câncer é difícil. Algumas perguntas feitas pelos seus filhos poderão requerer respostas complexas ou incertasr. Faça com que ele entenda que "tudo é novo" e você também está aprendendo.

Muitas pessoas podem suportar dor sem precisar de remédios. Outras não suportam qualquer manifestação de dor. Muitas coisas podem ser feita pelos seus familiares, para que o paciente se sinta mais confortável nessa hora. Se este não pedir ajuda fique junto dele, escute tudo o que ele quiser falar, muitas vezes só isso é de grande ajuda. Os familiares podem também aliviar dores nas costas ou em qualquer outra parte do corpo, com massagens suaves. Leves toques na área dolorida conseguem relaxar a musculatura. As visitas devem ser curtas, porque as longas são muito cansativas.

Para que o paciente possa superar a dor, a angústia e a preocupação pelo câncer é necessário o esforço de toda a equipe médica, dos familiares e dos amigos mais próximos. Os pacientes não podem nunca esquecer que ele precisa de todos ao seu lado, mas ele é que é o chefe dessa equipe. Pensamentos bons positivos, a certeza de que em breve ele vai ficar bom, não recusar a alimentação embora esteja enjoado deve tentar comer para não ficar anêmico e debilitado, tomar os remédios com convicção de que são para curá-lo, tentar fazer alguma atividade física durante o tratamento. Estes são o estímulo que certamente vão levar o paciente a ser curado.

Back to Top
GRUPO EZEQUIEL - APOIO A PACIENTES COM CÂNCER.
Fonte: http://grupoezequiel.org/artigos/artigos_004.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Nome para filho julia

1.Gabriel 1.Júlia / Giulia 2.Arthur / Artur 2.Sofia / Sophia 3.Matheus / Mateus 3.Maria Eduarda 4.Davi / David 4.Giovanna / Giovana 5.Lucas 5.Isabela / Isabella 6.Guilherme 6.Beatriz 7.Pedro 7.Manuela / Manoela / Manuella 8.Miguel 8.Yasmin / Iasmin 9.Enzo 9.Maria Clara 10.Gustavo 10.Ana Clara 11.Rafael / Raphael 11.Mariana 12.Felipe / Filipe 12.Gabriela / Gabriella 13.João Pedro 13.Luiza / Luísa 14.Pedro Henrique 14.Laura 15.Nicholas / Nicolas 15.Lara 16.Kauã / Cauã 16.Nicole 17.Victor / Vítor 17.Ana Luiza / Ana Luísa 18.Vinícius 18.Letícia 19.Daniel 19.Ana Júlia 20.Eduardo 20.Maria Luiza 21.João Victor / João Vítor 21.Ana Beatriz 22.Leonardo 22.Rafaela / Raphaella 23.Henrique 23.Sarah / Sara 24.Samuel 24.Isabelle / Isabelly 25.Bernardo 25.Alice 26.Pietro 26.Lívia 27.Murilo 27.Vitória / Victoria 28.Caio 28.Isadora 29.João Gabriel 29.Gabrielle / Gabrielly 30.João 30.Amanda 31.Isaac / Isaque 31.Eduarda 32.Thiago / Tiago 32.Melissa 33.Ryan 33.Clara 34.Heitor 34.Valentina 35.Brian 35.Bianca 36.Bruno 36.Larissa 37.Luca / Lucca 37.Rebeca 38.Victor Hugo / Vítor Hugo 38.Pietra 39.Igor 39.Emanuelle / Emanuelly 40.Ian / Yan 40.Marina 41.Lorenzo 41.Carolina 42.Luiz Felipe 42.Maria Fernanda 43.Theo / Téo 43.Helena 44.Rodrigo 44.Camila 45.Diogo 45.Ana Carolina 46.Tomás / Thomas / Thomaz 46.Heloísa 47.Breno / Brenno 47.Bruna 48.Kaíque / Caíque 48.Emily 49.Iago / Yago 49.Lorena 50.Eric 50.Lavínia 51.Diego 51.Alícia 52.Carlos Eduardo 52.Fernanda 53.Nathan / Natan 53.Luana 54.Francisco 54.Natália / Nathalia 55.Joaquim 55.Ana Laura 56.André 56.Laís 57.Alexandre 57.Juliana / Giuliana 58.Marcelo 58.Maria 59.Luan / Luã 59.Stéphanie / Stefany 60.Emanuel 60.Catarina 61.Fernando 61.Ester / Esther 62.Antônio 62.Mirela / Mirella 63.Yuri / Iuri 63.Maria Júlia 64.Luiz Henrique 64.Estela / Stella 65.Otávio / Octavio 65.Alana 66.Giovanni / Geovane 66.Caroline 67.Kevin 67.Evelyn 68.João Guilherme 68.Milena 69.Juan 69.Camille / Kamilly 70.Hugo 70.Joana 71.Anthony 71.Marcela 72.Kauê / Cauê 72.Maria Vitória 73.Danilo 73.Daniela 74.Ricardo 74.Ágatha / Ágata 75.Luiz Gustavo 75.Cecília 76.Renato 76.Bárbara 77.Victor Gabriel / Vítor Gabriel 77.Raíssa / Rayssa 78.Luiz Eduardo 78.Sabrina 79.Jonathan / Jonatas 79.Brenda 80.Augusto 80.Isabel 81.Luiz Fernando 81.Ana Lívia 82.João Lucas 82.Ana / Anna 83.Renan 83.Ana Sofia 84.Raul 84.Tainá / Tayná 85.Levi 85.Raquel / Rachel 86.Martim / Martín 86.Nina 87.Lucas Gabriel 87.Kauany / Kauane 88.William / Wilian 88.Nathalie 89.Henry/Henri 89.Débora 90.Pedro Lucas 90.Maria Laura 91.Matheus Henrique 91.Ísis 92.Júlio César 92.Ana Vitória 93.Ângelo 93.Eloá / Eloah 94.Enrico 94.Olívia 95.Gabriel Henrique 95.Elisa / Eliza 96.Benício 96.Micaela / Mikaela 97.Paulo 97.Mariane / Marianne 98.João Henrique 98.Luna 99.Derek 99.Jennifer 100.Luiz Guilherme 100.Talita / Thalita

Google+ Followers

Google+ Badge